Yôgacine - Panda do Kung Fu

04-01-2017 17:05

 

Fechamos assim, com chave de ouro, um ano e mais um intenso ciclo de iniciativas no nosso Ashram. Na nossa sala de prática, num ambiente acolhedor e intimista, com a presença do nosso Mestre João Camacho, da nossa professora Anabela, dos instrutores e futuros instrutores, alunos e praticantes de Yôga, amigos e duas mãos cheias de crianças, assistimos ao filme Panda do Kung Fu.
Um filme "para crianças", olhado e escutado à luz da filosofia do nosso Yôgacine, onde aliamos o prazer de assistir a um filme, ao olhar detalhado e atento àquilo que está para além da mera visualização. Com a entusiasmante introdução do Mestre, orientando a atenção, os comentários dos participantes no final enriquecem a aprendizagem, interpretação e assimilação dos vários aspectos essenciais e da mensagem do filme. Cada um, interpreta e visualiza à sua maneira, mediante as suas aprendizagens e vivências anteriores, os estados mentais e emocionais e o conhecimento de que são detentores. Saem no entanto todos, um passo mais à frente, no caminho pessoal e evolutivo enquanto yôgis e enquanto pessoas. Assim no yôgacine, assim em qualquer iniciativa promovida, assim no Yôga, assim na vida.
A importânica da integração num grupo enquanto processo de identidade pessoal e grupal.
A aceitação do próprio enquanto elemento integrante do grupo, aceitação da diversidade inerente a cada um dos elementos e aceitação dos novos elementos pelo grupo.
A tranformação inerente a todo o processo de auto conhecimento perante os desafios que nos são propostos e que assumimos como próprios.
A descoberta e tomada de consciência das próprias potencialidades e fragilidades e a valorização das mesmas para a concretização dos desafios e das tarefas inerentes.
A descoberta do Mestre, o desenvolvimento da relação e identificação Mestre e discípulo.
A orientação do Mestre, enquanto processo de desenvolvimento da auto e hetero confiança e o fio inquestionável de condução da ação, perante a adversidade, as emoções, os medos, os avanços e os retrocessos.
A atitude de persistência, auto-superação e de não desistência perante as adversidades.
A necessidade de educação do ego e desenvolvimento da humildade, quando atingidos patamares de excelência.
O caminho enquanto busca do essencial e do "ingrediente secreto" para o sucesso e para a felicidade.
A descoberta do essencial como aquilo que de mais precioso cada um de nós trás no coração.
Assim no filme, assim no Yôga, assim na Vida.
Um ano de excelência, auto superação e muito amor para todos.
SwáSthya.

Ana Fina, Instrutora Assistente
Discípula de João Camacho, 

Yôgachárya Espaço Cultural - Ashram Pashupati, Montijo