Visita de estudo - Casa Museu dos Patudos

13-07-2017 19:37

YÔGA EM FÉRIAS 2017 - CASA DOS PATUDOS
Sábado dia 8 de Julho, tivemos a nossa tão esperada primeira visita de estudo do programa Yôga em férias. Passámos uma agradável tarde cultural na Casa dos Patudos, em Alpiarça. A Casa dos Patudos deve o seu nome ao facto de naquela zona haverem patos muito grandes.Foi até 1929 residência de José Relvas.
José Relvas foi Político, diplomata e estadista mas foi o seu amor à arte e á música que o levou a mandar construir esta casa e posteriormente lega-la ao Município de Alpiarça como
museu, bem como toda a sua colecção de arte e a biblioteca. Foi José Relvas quem a 5 de Outubro de 1910,da janela da Câmara Municipal de Lisboa, proclamou a implantação da
República e enquanto Ministro das Finanças instaurou o escudo em Portugal.
A Casa dos Patudos, projectada por Raúl Lino, é uma obra de arquitectura conceptual, numa linha revivalista e nacionalista faz referência ao orgulho em ser Português. É uma construção rica em pormenores tanto exteriores como interiores, com salas amplas, salão com acústica para concertos e galerias exteriores.
A colecção de arte é bastante eclética e toda ela, desde as 500 obras de pintura, aos azulejos com mais de 60 padrões, esculturas, passando pelos têxteis com destaque para a única tapeçaria de Arraiolos tecida sobre seda e terminando nas cerâmicas, toda a colecção é de uma beleza fabulosa.
Toda a casa é maravilhosa, tudo é de uma qualidade e beleza inegável, no entanto é notória a marca do sofrimento, da angústia e de uma profunda tristeza, já que a família Relvas não teve uma história feliz. Vemos retratos dos dois filhos que faleceram ainda muito novos, aos 9 anos, de febre tifoide e temos ainda referências a um outro filho, Carlos Relvas que acabou por se suicidar no seu quarto, aos 35 anos. O aposento de Carlos mantem-se fechado por ordem
testamentária e por essa razão não nos foi possível visitar, mas pudemos apreciar o escritório com o seu piano, onde foi colocado, também por ordem do pai, um retrato póstumo do filho Carlos Relvas, pintado por Columbano.
O estado de espírito derivado do destino trágico da família reflecte-se na visível preocupação para que os ambientes não sejam demasiado luminosos nem alegres, assim como alguma tendência para o escuro, para imagens de sofrimento, sombrias.
Foi sem dúvida uma tarde enriquecedora da qual saímos a conhecer um pouco mais de arte e da nossa história e o melhor de tudo, na melhor companhia e como não podia faltar tivemos o nosso habitual lanche onde partilhámos não só os nossos deliciosos petiscos como extraordinários momentos de amizade e alegria.
Um muito obrigada ao nosso Mestre João Camacho pela orientação que sempre nos tem dado e em especial nesta visita e Professora Anabela Duarte da Silva pela organização do Programa Yôga em Férias.
SwáSthya!
Sádhika Rita Fernandes