VI ENCONTRO DE COROS E RECITAL DE MANTRA

27-06-2018 17:55

VI ENCONTRO DE COROS E RECITAL DE MANTRA 

No passado sábado dia 23 de Junho, celebrou-se o canto coral, na sexta edição do Encontro de Coros e Recital de Mantra de São Miguel de Odrinhas. Resultante de uma parceria entre o Espaço Cultural - Ashram Pashupati (Montijo) e o Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas (Sintra), foi uma belíssima tarde, onde podemos constatar o poder e a qualidade dos coros que pelo palco do auditório do Museu foram passando e a que ninguém ficou indiferente.

A abrir este encontro, o vibrante Coro Municipal da Lourinhã, dirigido pelo entusiasta e extraordinário comunicador Maestro Carlos Alves, que homenageando o Festival Eurovisão da Canção - que este ano se realizou em Portugal - nos presenteou com um conjunto de canções que ao longo dos anos foram fazendo parte da história da história das nossas gentes. E é certo que assim é, pois o público, constituído maioritariamente por amantes desta extraordinária arte de cantar em conjunto, foi vibrando ao longo de cada interpretação, cantando, respondendo assim à interação incitada pelo próprio Maestro (e responsável pelos belíssimos arranjos feitos destas canções).

Seguiu-se o Grupo Coral de Mafra, dirigido pelo Maestro Marco Lourenço, que num estilo mais reservado mas não menos envolvente, presenteou todos os presentes, com músicas integrantes do seu recém lançado CD "Canto 1". Seguindo a boa energia lançada logo na primeira atuação pelo Coro Municipal da Lourinhã, manteve-se um contacto bastante próximo com o público, que foi interagindo - cantarolando - algumas das suas peças. De registar mais uma vez, a qualidade das harmonizações, realizada pelo próprio Maestro e por Vitor Surgy (Compositor de uma das peças apresentadas "A barca" e Presidente da Direção do Grupo Coral de Mafra).

O Grupo Coral Allegro - da Associação Coral de Sintra - dirigido pelo Maestro Manuel Líbano Monteiro, actuou em casa, no mesmo registo familiar, mas não menos competente. Com excertos da Ópera Dido e Eneias (Henry Purcell), literalmente transportou-nos para outros tempos, amplamente enquadrados nesta casa Museu que nos recebeu mais uma vez. De evidenciar a qualidade das intervenções dos solistas, a entrega e força do coro, a emoção e envolvência das intervenções faladas que foram enquadrando a obra em si, enriquecendo fortemente a participação deste Grupo Coral, que mais uma vez se juntou a este encontro.

Por último, seguiu-se a atuação do Coral Rajas Agni. Se o nosso querido Mestre João Camacho - Director Artístico - já tinha ao longo do encontro introduzido cada novo coro, o enquadramento que fez de toda a atuação do nosso grupo coral foi magnífico. Começou por ressalvar que somos uma Escola de Yôga, referindo que na tradição ancestral da nossa escola filosófica, mantra (vocalização de sons e ultra-sons ) - é uma técnica poderosa e muito importante - constituindo o 3.º anga (módulo, parte) da prática fundamental em oito partes, denominada ády ashtánga sádhana do SwáSthya Yôga. Neste concerto, o Coral, vocalizou diversos kirtan (cânticos) tradicionais do hinduísmo, numa língua muito antiga o sânscrito (que é para os hindus, aquilo que o latim é para nós). De destacar o solo da nossa querida Professora Anabela Duarte e Silva (Directora Executiva do Departamento de Mantra), que com a coragem de leão - a que já nos habituou - interpretou com mestria o muito bonito kirtan "Hara Gavô". Para fechar a atuação do Coral Rajas Agni e encerrar o encontro por todo o Museu se sentiu a vibração do kirtan "Ganêsha Charanam" entoado (sistema solista - coro) por mais de 100 participantes presentes no auditório.

Para finalizar, resta-me apenas referir, que Yôga significa por definição, união, integração. Para quem a ele se dedica, sabe que a alegria sincera é uma característica natural e bastante presente. Deste encontro, onde cada atuação se encaixou de modo perfeito na que se seguiu, estas características foram tão evidentes no prazer que se foi sentindo, que inspiraram todos os presentes, deixando curiosidade, vontade de outras colaborações/desafios. Para mim, que me dedico a ambas as artes (da música e do Yôga), posso dizer que sai de coração cheio, por tudo o já referido.

Ao meu querido Guruji João Camacho tenho a agradecer a infinita paciência com que nos acompanha e o modo extraordinário como nos orienta em cada momento, com o forte apoio da nossa querida Professora Anabela Duarte e Silva. A todos os companheiros de jornada, muito obrigada. É muito bom, e cada vez mais, fazer parte deste grupo coral (e tudo o mais). Não é por acaso, que a força e união se sente cada vez mais em cada atuação. De ressalvar a ausência (apenas física) da nossa querida Professora Paula Trigo de Sousa, pela mais nobre de todas as causas (maternidade). Ausência apenas temporária, mas sempre em contacto.
A todos os Grupos que acederam ao convite a participar integrando este encontro, tenho de agradecer, pois inspirada, foi como me deixaram!

Muito bom!

Mil abraços, SwáSthya,

Paula Santana, Instrutora Assistente