II Festival de Yôga de Alcochete

28-06-2017 17:20

II Festival de Yôga de Alcochete

Realizou-se este fim de semana o II Festival de Yôga na belíssima cidade de Alcochete, uma organização do Espaço Cultural Kálí, pela Instrutora Paula Trigo de Sousa a quem, desde já, agradeço a dedicação e incansável actividade na condução a bom porto deste evento que muito me enriqueceu e acrescentou novas experiências ao meu marga bem como promoveu o Yôga, esta prática milenar, que visa a expansão da consciência. No Poema do Senhor, o Bhagavad Gítá – Yôga significa "união", não só no sentido de doutrina filosófica, como também na prática pois o saber teórico sem a realização prática não tem valor. E essa prática aplica-se ao quotidiano, à vida diária e ao modo como nos posicionamos na mesma. E foi isso que se verificou, num fim-de-semana ensolarado e quente, elevada também a vontade e o ânimo daqueles, todos nós que, de diferentes escolas, de diferentes percursos e interesses ali se reuniram e que participaram com entusiasmo.

Foi um fim-de-semana fantástico, com aulas de SwáSthya Yôga, ministradas a crianças, pais e filhos e adultos, Hatha Yôga, Kundaliní Yôga, aulas de dança indiana Bhangra e de Bollywood, workshops de alimentação com o palestrante Miguel Boieiro que nos presenteou com o seu conhecimento sobre flores e vegetais, pouco usuais na alimentação comum mas que quando se usam com saber e segurança, colhem-se novos paladares nos pratos onde se apliquem. E porque Yôga é um modo de estar na vida, uma cultura tivemos concertos com o Coral Rajas Agni que vocalizou bonitos kirtan e o grupo Cosmic Gong e os seus gongos planetários, performances que certamente fizeram vibrar a natureza a julgar pela resposta na qualidade de relâmpagos, trovões e chuva, um concerto dos elementos talvez… O Festival ofereceu também conferências e palestras ministradas pelo nosso querido Mestre João Camacho versando sobre temas que aludem ao Yôga e à sua prática. Aventurámo-nos Tejo adentro, numa viagem até á India acompanhados de Vasco da Gama e de várias peripécias que o nosso Mestre narrou, não fosse Alcochete a cidade natal de D. Manuel I “O Bem aventurado”, “O afortunado” que prosseguiu com a exploração ultramarina portuguesa, determinantes para a expansão do império até esse pais longínquo e para lá dele. Nas lendas e crónicas desses feitos relatam-se a presença de nativos nus em estranhas posições…seriam yôgis em suas práticas? A outra conferência do Mestre João Camacho foi sobre coreografia de ásana e mudrá, que todos os adeptos do SwáSthya Yôga procuram desenvolver num ensejo de autoconhecimento (e por vezes de reconhecimento) mas também como um meio de concentrar a mente num só ponto – o corpo como êkagrata. A realização destas coreografias é ainda uma forma de identificação com o Yôga antigo, e por esse motivo encerrámos o festival com o Súrya Namaskara, a saudação ao sol, a coreografia mais antiga e difundida no seio da cultura yôgi.

Aos que participaram, e sem julgar os que não puderam estar, humildemente agradeço pois sei que enquanto houver pelo menos um de nós, que realiza as suas práticas, que vai ao tapete, com disciplina, que procura meditar, que se esforça para se concentrar e manter o foco, que procura despertar a kundaliní, que realiza exercícios respiratórios entre tantas outras técnicas e métodos que vamos aprendendo com os que mais sabem, haverá Yôga e são nestes eventos, nestas oportunidades impares que criamos laços e novas amizades, nos expandimos e disseminamos esta cultura fabulosa.

Enriquecedor, gratificante, incentivador, de qualidade!!! Agradeço ao meu querido Mestre João Camacho a sua constante modelagem e orientação, aos muito estimados Professores Anabela Duarte da Silva e Luís Lázaro sempre presentes a ensinar, às queridas Instrutoras Paula Trigo de Sousa e Ana Fina por demonstrarem com acções reais que é possível viver Yôga, em Alcochete ou no Montijo, à querida Instrutora estagiária Paula Santana pelo entusiamo contagiante e apoio constante e a toda a egrégora pela coragem de leão.

SwáSthya!

Ana Marisa Rebotim, graduada

Discípula de João Camacho Yôgachárya

20/06/2017