Curso de tabla - 7 Janeiro 2017

11-01-2017 17:59


No passado sábado, realizou-se mais um curso no Espaço Cultural Ashram Pashupati no Montijo. Este curso foi sobre as tabla, tendo sido ministrado pelo Intrutor Júlio da Silva, que teve por base os conceitos básicos deste instrumento musical indiano.
As tabla surgiram há cerca de 250 anos, apesar de ninguem saber quem foi o inventor, sendo que na Índia estão associcadas ao sistema musical do norte, Hindustani Sangit.
O termo tabla deriva da palavra árabe tabi, que significa tambor. As tabla são constituidas pela Dayan, que significa direita e é contituida de madeira e pela Bayan, que significa esquerda e é de metal, podendo ser de latão ou cobre. Assim, a Bayan corresponde à mão esquerda e a Dayan corresponde á mão direita.
A Dayan e a Bayan são cobertas de pele e ainda tem duas bases em forma de anel, as "chutta", que são onde as tabla se apoiam.
A música na Índia é uma arte muito importante e ao longo dos últimos 2000 anos, este em constante evolução, fazendo parte de um sitema tradicional inquebrantável. Este facto deve-se à relação entre o mestre e o discipulo, através dos ensinamentos que o mestre vai transmitindo ao discípulo.
Devido aos ensinamentos que o Instrutor Júlio da Silva possuía dos nosso querido Mestre João Camacho, teve a atenção de Sri Makarand Tulankar, para lhe ser transmitindo o ensinamento sobre as tabla. O intrutor Júlio da Silva
fez questão de frisar, a todos os demais presentes, a importância da relação entre Mestre e Discípulo. De facto, devemos de nos sentir previligiados por termos sempre o nosso Mestre perto de nós, de nos indicar o caminho e ajudar-nos a nunca desistir, mas pelo contrário, persistirmos - tapas.
Assim, durante o workshop de tabla com Shrí Tulankar que o Instrutor Júlio teve, manteve sempre a sua postura com base nos preceitos que o nosso Mestre lhe transmitiu, mas os demais presentes, lidaram com o Mestre como se fosse um professor qualquer. Devido a isso, Shrí Tulankar chamou o Instrutor
Júlio e transmitiu-lhe o conhecimento.
"...se não fosse os ensinamentos do meu Mestre João Camacho, tambem eu seria mais um naquele workshop que não iria aprender nada...", assim referiu o Instrutor Júlio.
Após contar a sua história, passou á parte prática, da qual devo referir que não é nada fácil a coordenação das duas mãos, fazendo movimentos diferentes. Mas com a prática vai-se longe.
Encerramos o curso com a vocalização dos kirtans Hara Gavô e Bhaja Bhakata, acompanhado pelo som das tablas e no fim deliciamo-nos com um lanchinho partilhado.

SwáSthya

Tânia Ferreira, Graduada
Discipula de João Camacho, Yôgachárya