Bhúta shuddhi

16-11-2016 18:40

 

Realizou-se este sábado no Ashram Pashupati no Montijo mais um extraordinário curso de formação de SwáSthya Yôga, desta vez com enfase nas técnicas de purificação intensiva dos elementos materiais ou bhúta shuddhi.

Ministrado pelo nosso querido Mestre João Camacho, a divulgação deste curso só por si assemelhava-se a uma montra repleta de iguarias, de criar água na boca e expectativas, e não desiludiu! A componente teórica, talvez ainda complexa para o praticante mais novo mas simultaneamente profunda, procurando responder às necessidades dos veteranos presentes foi habilmente intercalada com a parte prática, facilitando a compreensão da matéria ministrada, característica a que o Mestre já nos habituou.

Bhúta shuddhi, técnica tântrica, é um período limitado de tempo em que nos dispomos, com tapas, a intensificar as nossas práticas habituais, onde há uma medida certa e rigorosa para as nossas actividades quotidianas e práticas específicas para a purificação dos corpos que albergamos - o corpo físico, o energético, o emocional, o mental e o intelectual, progredindo do elemento mais denso para o mais subtil ou de outro modo, de bhur para ákasha. Pois, tal como explica o Mestre, independemente da linha tântrica, bhutá shuddhi é a base, dado catapultar o praticante na sua evolução, ao limpar os elementos para que kundaliní possa livremente fluir e ascender, e sem esta etapa o caminho faz-se mais lentamente e com mais esforço.

Feita a introdução teórica necessária, a partir desse momento o curso ganhou uma forte componente prática ao experienciarmos mantra, pránáyáma com incenso absolutamente maravilhoso que ficou retido na memória, trátaka, com yantras poderosos, onde lágrimas escorreram em vários rostos ao purificarmos os sentidos. Depois exemplos de ásana que estimulam glândulas e chakrá, yôganidrá para nos reprogramarmos emocionalmente ou samyama usando a concentração e a mentalização nas acções que cumprimos, o nosso ady ashtánga sádhana sempre presente em rotinas diárias e simples mas que pela sua repetição e intensidade são verdadeiro poder para o praticante.

O Mestre prosseguiu o seu ensinamento, e acto contínuo ao curso de Kama shuddhi, ensinou técnicas para sublimar emoções viscosas, que tantas vezes nos toldam a consciência e alteram os vrittis. O autoconhecimento e controlo emocional proporcionado pelas técnicas de Yôga que realizámos é sentido imediatamente, tal é a força das mesmas. Como sentir ódio, ciúme ou medo quando a nossa energia vital, a nossa concentração, a nossa mente, o nosso corpo é coordenado para trabalhar com vista ao sentimento oposto? Recorrendo a japa de bija mantra, bhástrika ou nauli kriyá em ardha páschimôttanásana, apenas como exemplos, sentimos na pele o efeito das técnicas sobre os sentimentos, e como é tão libertadora esta tomada de consciência! E já mencionei a massagem corporal para activação dos centros energéticos? Ou o fantástico purificador de paladar, também conhecido por lanche com que encerrámos o dia de curso?

Por tudo isto que aqui tentei resumir, ainda mais pela experiência em si, única e muito enriquecedora, o curso de ontem foi muito produtivo para mim enquanto praticante, pois além da ferramenta que constitui, uma vez mais comprovo que SwáSthya Yôga promove muito mais que um corpo forte e musculado, promove o aprimoramento do carácter, a evolução do praticante como ser emocional e social que é, um púrusha conectado consigo e com o que o rodeia e quem sabe um dia em samadhi.

Obrigado querido Mestre.

06/Novembro/2016
Ana Marisa Rebotim, sádhika